Alvorada da esperança

PLANTADORES DA SEMENTE

“O que planta e o que rega têm um só propósito, e cada um será recompensado de acordo com o seu próprio trabalho.” (1 Coríntios 3.1-11).
Hoje colhemos os frutos das sementes que foram plantadas no passado. Que tipo de frutos as futuras gerações colherão por causa das sementes que plantamos hoje?
É assim com respeito à fé. Quando estudamos a história da igreja é possível nos emocionarmos com as vidas entregues por nossos antepassados para que hoje pudéssemos praticar nossa fé e experiência com Deus. As sementes, muitas vezes plantadas à custa de dor, lágrimas e sangue, hoje florescem nos jardins da história. Nós somos beneficiados com isso. Entretanto, nosso papel não é passivo, mas ativo, pois na medida em que colhemos e usufruímos dos frutos das sementes plantadas ontem, também lançamos sementes ao chão. Amanhã outros colherão.
Quero destacar duas coisas. A primeira é que devemos respeitar as vidas que se deixaram gastar por nós. Todas as vezes que vivemos um evangelho frouxo, desrespeitamos aqueles que muitas vezes regaram as sementes lançadas com o próprio sangue. Homens e mulheres que não se recusaram a entregar a própria vida. E a segunda é que devemos dar nossa contribuição à humanidade lançando, à medida que caminhamos, as sementes da fé que professamos. Amanhã alguém colherá esses frutos e também há de crer em Jesus.

UNIÃO FEMININA MISSIONÁRIA BATISTA DO BRASIL (UFMBB)