Batalhão Ambiental flagra extração ilegal de água em reserva ambiental

destDois caminhões-tanque foram apreendidos e homens foram ouvidos e liberados em seguida.

Dois caminhões-tanque da empresa de construção civil Tercam foram apreendidos pelo Batalhão de Polícia Ambiental do Maranhão (BPA) na manhã do dia 19 de setembro com água que havia sido extraída ilegalmente de uma nascente de um rio dentro do Parque Estadual do Bacanga, em São Luís. Os responsáveis pelo crime ambiental serão penalizados, podendo pagar multa que varia de R$ 1 mil a R$ 20 mil.

Os agentes do BPA chegaram ao ponto onde estava ocorrendo a prática ilegal por meio de denúncias anônimas de que algumas pessoas estavam retirando água da nascente do rio, sem permissão, o que caracteriza um crime ambiental. Chegando ao local, os policiais confirmaram as denúncias e constataram que os infratores utilizavam uma bomba de sucção para fazer as retirada do líquido e colocá-lo nos tanques dos caminhões.

Flagrante – Quatro policiais do BPA participaram da operação que resultou na apreensão, além dos dois caminhões, da bomba utilizada para a retirada da água. De acordo com o major Marigerson Brito Júnior, subcomandante do batalhão, no momento da chegada dos policiais, um dos caminhões-tanque estava abastecido, enquanto os infratores preparavam-se para encher o outro veículo. A água que estava sendo extraída ilegalmente seria empregada em serviços de pavimentação asfáltica.
 
“Eles não tinham licença para fazer isso. É um crime ambiental, pois eles entraram em uma área de preservação e retiraram indevidamente a água do parque para fins particulares. Então nós localizamos os infratores e efetuamos o flagrante”, explicou o major.

Duas pessoas que estavam no momento do flagrante foram ouvidas e depois liberadas. Representantes da empresa Tercam, dona dos caminhões utilizados para o depósito da água, serão chamados nos próximos dias e ela poderá pagar multa que varia de R$ 1 mil a R$ 20 mil por causa do crime ambiental.
 
Os autos de infração lavrados pelo BPA serão encaminhados para a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais do Maranhão (Sema), que dará prosseguimento ao processo. Enquanto isso, os dois caminhões e a bomba d’água permanecerão retidos na sede do BPA, no Coroadinho.