Capitã da PMMA coordena rede de mulheres policiais no Sudão do Sul

Na terça-feira (07), a capitã Emmy Coelho, oficial da Polícia Militar do Maranhão, coordenou a reunião da Rede de Mulheres Policiais na Missão de Paz no Sudão do Sul (UNMISS UNPOL Women Network em inglês), evento que contou com a presença de 30 policiais sul-sudanesas, além de policiais de diferentes países que estão atualmente servindo naquele país africano.

O objetivo da reunião foi abordar os problemas enfrentados por mulheres policiais no ambiente de trabalho, tanto UNPOLs (policiais nas Nações Unidas) quanto policiais sul-sudanesas, e de que forma a Rede pode ajudá-las a enfrentar esses desafios.

Para a CAP PM Emmy, coordenadora da Rede desde fevereiro deste ano, essa reunião foi primordial criar um ambiente de confiança para que as policiais se sentissem à vontade para abordar temas muitas vezes não discutidos na presença masculina, por questões culturais ou mesmo por falta de oportunidade.

Durante os conflitos armados são as mulheres e crianças as que mais sofrem, sendo vítimas de violência sexual, falta de assistência médica, casamentos forcados, além de acesso à educação precário dentre outras barreiras culturais. E nessa sociedade onde as mulheres quase não têm voz, o papel da policial feminina se torna uma importante estratégia para que a voz dessas mulheres e meninas seja ouvida.

As policiais da ONU orientaram a polícia local com relação a diretos humanos, polícia comunitária, bem como atendimento de vítimas de violência sexual, tornando o atendimento à vítima muito mais efetivo. Elas ainda inspiram mais mulheres a se juntarem a polícia e forças armadas, e um maior número de mulheres uniformizadas traz um grande impacto no processo de manutenção da paz.

Apesar do inegável resultado positivo da atuação de policiais femininas em Missões de Paz, o seu número ainda é reduzido. Em carta recente, Antônio Guterres, Secretário Geral da Organização das Nações Unidas desde 2017, ressaltou que a ONU enfrenta desafios em alcançar seus objetivos de igualdade de gênero dentro do ambiente de trabalho, e que o baixo número de mulheres em Missões de Paz não se dá por um fator de mérito, nem tão pouco por não haver mulheres qualificadas ou interessadas. Isso é consequência de questões históricas e preconceitos que devem ser erradicados.

A Rede de mulheres policiais na Missão de Paz no Sudão do Sul (UNPOL WOMEN Network) foi criada em 2007, no entanto, devido à crise que se instalou no país em 2013, a rede teve suas atividades suspensas, até que foi relançada em 13 de setembro de 2017.  Sua atividade consiste em dar suporte as policiais servindo em Missão de Paz para desenvolverem seu potencial e colaborar para o aumento do número de policiais femininas em cargos de supervisão e de gestão até que a paridade de gênero seja alcançada. Promover uma maior conscientização sobre questões de gênero e um ambiente de trabalho sensível ao gênero, bem como advogar em prol das policiais femininas com relação a assédio, discriminação e abuso que venham a ocorrem no ambiente de trabalho. E abordar os desafios enfrentados pelas policiais a serviço da ONU.

A rede de mulheres se propõe ainda a fortalecer a polícia Sul Sudanesa, oferecendo assistência para estabelecer uma Rede de Mulheres semelhante que contribua para a participação igualitária e efetiva das mulheres em todas as fases dos processos de paz, dado o seu papel vital na prevenção e resolução de conflitos e construção da paz.

Para a CAP PM Emmy o resultado da reunião foi bastante positivo, o próximo passo será copilar todos os desafios e traçar as atividades adequadas para cada necessidade.