Chega a 38 o número de presos por incêndios; Sistema de Segurança apresentou 14 à sociedade

logo governo
A Secretaria de Segurança Pública, durante entrevista concedida pelo secretário Jefferson Portela, juntamente com toda a cúpula do sistema de segurança, apresentou, na tarde desta sexta-feira (20), 14 suspeitos de atearem fogo em coletivos na capital maranhense, fato este ocorrido na última quinta-feira (19).

5

Foram apresentados Wellington José Almeida Alencar, popularmente conhecido por “Papudo”, Rwann Vitor Nogueira Trindade, vulgo “Vico”, Janilson Nunes Ribeiro o “Delo”, Bruno Raian de Sá Pereira, Benta Azevedo Souza, Alciane Azevedo Pereira Brandão, vulgo “Morena Diabona” e um menor com de apenas 17 anos.
 
Também foram divulgados os nomes de cinco encarcerados do Centro de Triagem de Pedrinhas, acusados de ordenar os ataques de dentro do presídio, todos de altíssima periculosidade. São eles Carlos Cesar Viegas, vulgo “Carlito”, Henrique Borges Chagas o “Black”, Eliakin D’Ávila Machado o “Mc Sedrack”, Leanderson Nonato dos Santos o “Léo Pirento” e Wilderley Moraes o “Paiakan”.

A Polícia Civil e a Polícia Militar veem realizando um trabalho minucioso no estado, atingindo o principal foco desses meliantes, o tráfico de drogas. Centenas de apreensões de substâncias entorpecentes foram feitas nos últimos meses, de modo que a cúpula de superintendentes, coronéis, tenentes, policiais, entre demais agentes envolvidos no combate ao crime, têm desarticulado inúmeras quadrilhas estaduais e interestaduais.

O Comandante Geral da PMMA, Coronel Pereira destacou a bravura dos policiais e a competência em honrar o juramento feito na corporação, “Nós não vamos recuar, isso não intimida o sistema de segurança e aqui eu quero exaltar o espírito de servidão pública dos policiais civis e militares, oficiais e praças, policiais aposentados e de pleno gozo de férias que se apresentaram voluntariamente. Isso é uma demonstração de compromisso não apenas com a instituição, mas com a sociedade. Estamos dispostos a manter essa dinâmica e o animo contra a criminalidade”, disse.

Um dos presos em flagrante durante incursão comandada pelo próprio coronel Pereira é líder de uma facção criminosa do bairro da Liberdade, o “Daniel”. De outras ações policiais decorreram inúmeras prisões, inclusive de indivíduos sem ligações diretas com a prática do crime de incêndio aos coletivos urbanos.

O Delegado Geral de Polícia Civil, Lawrence Melo, explanou medidas estratégicas tomadas contra a onda de crimes. “Essas incursões continuarão, através de planejamentos já propostos da Polícia Civil e Militar, logo em seguida à essa coletiva, no decorrer da noite, madrugada e nos dias subsequentes, até que essas ações criminosas sejam completamente debeladas” afirmou.

“O posicionamento do governador Flavio Dino define que deve prevalecer a força da lei contra a força do crime e o estado é representado, na parte operacional policial, por nós aqui presentes nessa mesa. Somos policiais do Estado do Maranhão e nesse atual governo dirigentes na ação central do sistema, mas, sobretudo, policiais, combatentes do crime em pessoa. Não podemos fazer a vontade de criminoso. No estado democrático de direito, o que tem que valer é a força da cidadania contra a força do crime e essa força é encarnada por nós e estamos cumprindo nosso dever. Quem teimar, desses bandidos, em enfrentar o sistema de segurança e atacar covardemente o cidadão que precisa do transporte público, sentirá o peso do braço forte da polícia militar, civil, corpo de bombeiros e da direção geral do conjunto de segurança. Estes criminosos receberão respostas à altura dos crimes praticados” enfatizou o Secretário Jefferson Portela.

A coletiva foi finalizada com um breve recado deixado pelo comandante da PMMA, Coronel Pereira, aos responsáveis por essa onda de crimes: “Se é guerra que eles querem, é guerra o que eles vão ter”.

E chegava a 38 o número de presos até as primeiras horas da manhã deste sábado.

6