Comandante Geral fala à imprensa sobre a recuperação da metralhadora extraviada durante barreira policial da CPRv

01Em uma coletiva à imprensa, na manhã de terça-feira (20), no Quartel do Comando Geral, no Calhau, em São Luis, o comandante geral da PMMA, coronel Marco Antônio Alves da Silva prestou esclarecimentos da recuperação da metralhadora de calibre ponto 40mm, extraviada na madruga do dia 2 para o dia 3, desse mês, por um policial militar da Companhia de Polícia Militar Rodoviária – CPRv durante uma barreira policial, em São Luis.

Segundo o comandante geral, um Senhor identificado como Francisco, ligou para o 190 e falou com o coordenador do Centro Integrado de Operações (Ciops), capitão Santos, informando que seu filho Ielton, 26 anos, mototaxista, quando passava em sua motocicleta nas proximidades da Avenida dos Africanos  próximo ao Bar Túnel do Tempo, momento em que encontrou a metralhadora no chão. Ielton que é morador do eixo Itaqui Bacanga, pegou a arma e levou para sua casa, guardando-a em uma caixa de ferramenta e só comunicou a sua mãe o ocorrido nesse domingo (19).

Diante das informações, o Ciops acionou o Coordenador de Policiamento de Unidade (CPU) do 1º Batalhão de Polícia Militar (1º BPM), que deslocou para a Avenida dos Portugueses, no Eixo Itaqui Bacanga e fez a condução dos envolvidos até o Quartel do Comando Geral (QCG) da PMMA, no Calhau, até a presença do oficial Superior de Dia, onde prestaram depoimento.

O coronel Alves ressaltou ainda que o Inquérito Policial Militar – IPM foi aberto para apurar o caso e a arma será encaminhada ao Instituto de Criminalística para ser periciada. “Sabemos que a arma foi extraviada durante uma abordagem de rotina da CPRv. Agora com a abertura do Inquérito Policial Militar, esperaremos o resultado das investigações para posteriores esclarecimentos”, disse o comandante geral.