Em manifestações de estudantes em São Luis, PMMA age de forma legal e ordeira

01

Desde a segunda-feira(30), estudantes de diversas instituições educacionais têm promovido manifestações em vários lugares de São Luis contra o aumento da passagem dos coletivos anunciado pela prefeitura no último domingo dia 29.

Para assegurar a ordem pública, a segurança das pessoas e do patrimônio público,  a PMMA tem agido dentro do estrito cumprimento do dever legal, com o emprego de policiais especializados em atuação de distúrbios civis e ações operacionais.

Nos dois dias de manifestações, houve o bloqueio de avenidas e rotatórias e, também, movimento dos estudantes nas integrações dos bairros e no Centro da cidade.

Para evitar e conter qualquer tipo de crime, a PMMA utilizou também seu serviço de inteligência como forma de identificar os líderes e mapear as áreas de maior probabilidade de ações que infringissem à ordem.

Em todos os momentos, a PM utilizou a força moderada como cordões de isolamento e o emprego de armas não letais como os espargidores (foto) que ejetam, em forma de spray, a solução de agente pimenta pressurizada. O objetivo é saturar o ambiente, afastando os manifestantes.

Segundo o tenente-coronel Bayma, comandante do 9º BPM, durante a manifestação que aconteceu no início da noite de terça-feira (31), na integração da Beira-Mar, os manifestantes depredaram o patrimônio público como prédios e viaturas da PM. Foram presos: Anderson Ronald Hortegal Nunes, morador do bairro da Forquilha. Com ele os policiais encontraram artefatos explosivos. Paulo Roberto Silva Freire, morador da Vila Flamengo, foi detido após depredar uma viatura da PM (foto).

02