Governo capacita profissionais para Resgate Aeromédico no Maranhão

CTA 2015

O Governo do Maranhão, por meio das secretarias de Estado de Saúde (SES) e Segurança Pública (SSP), promoveu, nesta semana, uma qualificação para 30 profissionais de saúde que atuam no transporte interhospitalar e com o resgate de pacientes.

Por meio do Centro Tático Aéreo (CTA), o curso de Resgate e Transporte Aeromédico reuniu 19 médicos e 11 enfermeiros na capacitação, treinamento e certificação para o atendimento pré-hospitalar, voltado para missões com uso de helicópteros.

De acordo com o chefe do departamento de Resgate do CTA e coordenador do curso, tenente-coronel Wellington Reis, a capacitação dos profissionais é essencial diante da determinação do Governo do Estado em implantar mais duas bases do CTA no Maranhão, nas cidades de Imperatriz e Presidente Dutra.

“Para todo médico e enfermeiro, mesmo com habilidades com emergência, intensivista, para atuar em operações aeromédicas, precisa de uma qualificação especifica que irá habilitá-lo a operar com helicópteros. Aqui eles vão receber essa qualificação e quando as bases forem instaladas nessas cidades, eles já estarão aptos para operar”, informou o coronel.

O curso segue as normas da Portaria n°2048, do Ministério da Saúde, que determina todo o conteúdo que deve ser ministrado a profissionais de saúde que irão atuar nessa modalidade de transporte sanitário, habilitando-os, para operar em aeronaves. Os 30 profissionais foram selecionados pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), considerando as cidades onde serão implantadas as novas bases.

“A SES selecionou profissionais que já atuam nas ambulâncias que trabalham com pacientes de alta complexidade. Em São Luís, temos duas Unidades de Suporte Avançado (USA), então são profissionais que atuam nesta unidade e os profissionais que atuam na USA de Peritoró, que será a que irá atender a base em Presidente Dutra”, explicou o Coronel Reis.

Participam três médicos e o diretor Administrativo do Hospital Macrorregional Dra. Ruth Noleto, em Imperatriz, que também atuarão na base a ser instalada no município. “O intuito é deixar o pessoal preparado para formar a base que ficará na nossa unidade. É a segunda equipe que o Governo do Estado traz, de forma que quando a base for instalada, estaremos com as equipes que atuam nos plantões todas aptas para esse tipo de transporte”, afirmou o diretor administrativo da unidade, Felype Hanns.

A coordenadora do curso pela SES, Anamélia Pinheiro, explica que o curso foi dividido em parte teórica e prática e teve carga horária de 60h. “Na segunda-feira iniciamos com toda a parte teórica e, desde terça, estamos realizando as atividades práticas. Eles viram sobre comunicação aeronáutica, embarque e desembarque de passageiros no helicóptero, entre outros conteúdos essenciais para quem trabalha com esse tipo de resgate”. 

O médico Luís Alfredo Malheiros destacou a prática com um dos pontos mais importantes da qualificação. “Esse curso é de extrema importância, porque tem como fazer a vivência do que aprendemos teoricamente. Todos os âmbitos que podem acontecer, durante um resgate, nós simulamos nas atividades práticas, de forma que, se formos surpreendidos com qualquer situação, estaremos preparados e saberemos como proceder para que não haja prejuízo no resgate”. 

A enfermeira Alaína Rocha, atua na Unidade de Suporte Avançado (USA) que cobre a região de Codó e cidades vizinhas, analisa a capacitação como essencial para esta nova atuação da unidade. “Como o trabalho vai ser ampliado, e a USA que trabalho irá cobrir parte dessa região, para mim, enquanto enfermeira, é importante porque fazer o transporte por terra é completamente diferente do aéreo. Então, agora, estou apta para esse novo cenário em que vamos atuar”, ressaltou.

Fonte:SES

 1

2

3