Picadeiro é inaugurado no Centro de Equoterapia da Polícia Militar do Maranhão

O Centro de Equoterapia da Polícia Militar do Maranhão agora conta com um picadeiro coberto que permitirá melhores condições para as sessões e atendimentos da equoterapia, projeto social desenvolvido pela corporação. A inauguração do Picadeiro coberto Monsenhor Hélio Maranhão aconteceu na manhã de hoje(21) na sede da equoterapia localizada no Quartel do Comando Geral da PMMA, no Calhau, em São Luis. Atualmente a equoterapia atende mais de cem pessoas ultrapassando os 450 atendimentos mensais.

A cerimônia contou com a presença do secretário de Estado de Segurança Pública do Maranhão, Jefferson Portela, do comandante geral, coronel Jorge Luongo, de coroneis do alto comando, comandantes de unidades, do diretor do centro de equoterapia da PMMA – CEPMMA, tenente-coronel William Ataíde, do representante da Vale, Cláudio Mendes, do Engenheiro Civil da Vale, João Alberto de Andrade, do representante do Instituto Família Feliz e da ACA engenharia, além de familiares e dos praticantes da equoterapia.

O novo espaço proporciona melhor acomodação aos praticantes e policiais militares que integram as equipes multiprofissionais como psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e equitadores.
Representando os familiares

dos praticantes, o senhor Júlio César, pai da Ana Júlia, ressaltou os bons resultados da equoterapia. “Minha filha tem apresentado resultados expressivos como equilíbrio, evolução nos movimentos e até desenvolveu o carinho pelos animais”, destacou.

Para o tenente-coronel William o picadeiro é um grande avanço do trabalho da equoterapia “Agora não dependeremos de condições favoráveis do tempo, a qualquer hora nossa equipe estará na prática com diversas atividades que trabalham movimentos, comandos e atividades múltiplas que têm refletido em melhorias e evoluções no tratamento terapêutico”, disse.
“O valor dessa obra vai além dessa estrutura física, o trabalho e resultados da equoterapia da PMMA têm sido uma referência nacional no tratamento de crianças e adultos com necessidades especiais”, finalizou o comandante geral.